quarta-feira, 16 de março de 2011

Quando supomos estamos a admitir algo como provável ou possível; estamos a conjecturar, a imaginar, a presumir; estamos a formar hipóteses sobre algo; estamos a considerar algo como verdadeiro estando ao mesmo tempo a crer, a julgar e a pensar.
É estranho existirem alturas em que gosto de supor e outras em que sinto exactamente o contrário pois, como consequência, ouço «isso são apenas suposições», mais estranho ainda é existirem alturas em que gosto de o ouvir. Já passei por uma fase de constante suposição, e digo constante suposição pois a minha mente estava constantemente a supor. «Vamos supor que correrá bem, portanto, se correrá bem, eu irei ficar bem», «Vamos supor que isto não passa de uma má fase, portanto, mais cedo ou mais tarde passará», «Vamos supor que ele sente o mesmo, portanto, se sente o mesmo, acabaremos por ficar juntos»: estas eram as suposições mais agradáveis da fase por que passei, mas mais agradáveis era igual a mais ilusão. «Vamos supor que será sempre assim, portanto, se será sempre assim, o melhor é habituar-me e lidar com isso», «Vamos supor que isto não é apenas uma má fase mas já parte da rotina, portanto, se assim o é, o melhor é tentar começar a tentar pelo menos lidar com a situação», «Vamos supor que chegou mesmo ao fim, portanto, se chegou mesmo ao fim, tenho de começar a pensar em esquecer e seguir em frente»: por outro lado estas eram as suposições mais duras e desanimadoras, mas estas suposições duras e desanimadoras eram também as únicas que não me faziam cair na ilusão.
A meu ver a vida está repleta de suposições, supomos quando estamos a sentir algo, quando queremos algo, quando perdemos algo, supomos porque gostamos de visualizar mentalmente as hipóteses existentes em torno do assunto em causa.
Vamos supor que é bom supor; vamos supor que se supusermos, visualizamos todas as hipóteses existentes em torno do assunto em causa e assim a consequência final será mais fácil de encarar; vamos simplesmente supor para que na realidade utilizemos o pretexto de que estamos a supor para não admitir directamente as possíveis consequências. Afinal, são tudo suposições.

5 comentários:

Marianaa disse...

LINDO ! AMO(-TE) «3

honey b. disse...

passei a seguidora!
adooooooorei *

honey b. disse...

obrigada fofinha :')

Mariana disse...

ADORO :) está lindo! tens imenso jeito para escrever!!

estou a seguir... <3
se puderes visita o meu

beijinho
Mariana

bad.influence.on.u disse...

mt bom!!=)